Qual é a sua motivação?

Ontem apresentei uma aula aberta no YouTube chamada Não alimente os trolls, com a proposta de repensar esse adágio da internet. Em resumo, não acredito que apenas ignorar pessoas violentas seja a melhor forma de evitar que sua violência se espalhe, pois ao ignorá-las estamos abrindo espaço para que suas ações continuem como são.

No vídeo, destaquei uma outra ideia: todos nós temos trolls dentro de nós e são eles que merecem ser enfrentados. O troll que quer estar certo ou saber a verdade, o troll que classifica as coisas em boas e más, o troll que ordena os limites sobre o que cada um deveria ou não fazer. Eu não mencionei, mas há outros trolls dentro de nós.

O troll da competição é um deles. Quem é o mais forte, o mais inteligente, o mais rápido… Esse é um troll que disputa com outras pessoas um lugar de destaque por causa de algum atributo ou competência. Minha questão aqui é: por quê? Que benefício o mundo ganha ao descobrir quem é a pessoa mais isso ou aquilo?

Às vezes, percebo que estou agindo para ser o mais alguma coisa em relação a outras pessoas. Nessas horas, paro, respiro e busco repensar minhas escolhas. A minha motivação é criar um mundo melhor e mais conectado com as pessoas ao meu redor, ou é disputar o primeiro lugar? É competir ou colaborar?

Com essas perguntas em mente, fica um pouco mais fácil ponderar se estou fazendo escolhas conscientes ou se estou apenas agindo no automático.

Originally published at talesgubes.com on February 4, 2019.

Um olhar não-violento para uma vida mais livre, honesta e conectada. Criador do Ninho de Escritores, da Oficina de Carinho e do Jogo pra Vida.

Um olhar não-violento para uma vida mais livre, honesta e conectada. Criador do Ninho de Escritores, da Oficina de Carinho e do Jogo pra Vida.